No Jogo da Vida aquilo que você tem medo, você mesmo faz acontecer!

Quantas as vezes aquilo que mais fugimos e que  mais tememos é o que mais se manifesta em nossa vida?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este é o jogo da vida, que diz o tempo todo: "Ou você dá as cartas e é o jogador,  ou você será as cartas do jogo de alguém", e quando me refiro a isto falo de ocuparmos nosso lugar. 

 

Hoje falo disto porque uma vez fui as cartas do jogo de alguém e anulei meu jogo, e isto não tem a ver com estar servindo, entregando e trabalhando para alguém.

 

Me refiro a vida, me refiro a assumir nossas responsabilidade e entender que somos cocriadores das realidade que vivemos, e percebos que aquilo que mais desejamos em nossa vida por vezes é aquilo que mais impedimos que acontença.

 

Você tem medo de ficar só ? Mas de verdade quais são seus comportamentos que permitem que pessoas fiquem em sua volta?

 

Você tem medo de ficar sem dinheiro? E quais são as posturas que assume para mudar esta realidade para criar uma vida próspera?

 

Você quer ter bons amigos? Mas tem sido amigo, tem se relacionado, valorizado os amigos, ou criado situações de distanciamentos?

 

Quer ser independente? Mas o quanto tem criado espaços para isto, se fica esperando a opinião do outro para tomar decisões.

 

A verdade neste jogo é que aquilo que viemos viver como experiência evolutiva, é nosso maior desafio, não é uma regra, e nem precisa ser assim, mas até nos apropriarmos de nossas limitações seguiremos no fluxo contrário. 

 

Descobri a pouco que mesmo eu sabendo que quero viver uma vida mais leve ainda continuo atrainda situações que me aprisionam em uma vida cheia de compromissos, ou cheias de coisas para fazer onde nem tenho tempo para respirar muitas vezes.

 

Ou seja, eu quero ser livre, voar e ter tempo para mim, fazer coisas mais prazerosas, poder ler, poder fazer exercicios, e outras coisas que me dão prazer

( logo eu que falo tanto em viver uma vida com prazer). 

 

Sim, esta e minha maior dificuldade trazer prazer para minha vida, sair do automático, e sentir mais leveza, porque sim a vida pode ser leve, basta eu decidir viver uma vida leve, mas o que eu estava fazendo? 

 

Criava muitos compromissos, ( até mesmo insconcientemente) criava muitas responsabilidades, este ano em especial criei tantas responsabilidade e tantas pessoas me cobrando que eu entregava isto ou aquilo, que de agosto para cá venho iliminando excessos, e como tinha excessos, CREDO!!!

 

Quantas coisas inventei, criei, comecei ( não dava conta de terminar), tive que elimininar, tive que dar foco, que decidir olhar para o que de verdade fazia sentido... gostava de tudo sim e ao mesmo tempo, mas as vezes precisamos desconstruir tudo para reorganizar e direcionar melhor esta energia.

 

Isto também foi aprender a dizer não, a entregar responsabilidades, e entregar para cada um suas mochilas e culpas e medos que eu tambémm estava carregando. E como foi este exercicio? 

 

Foi olhar  para os padrões de culpa que ainda insistiam em se manifestar em meus comportamentos, e por causa deste padrão, ao mesmo tempo entrava em um ciclo louco e absurdo,  assim ficava me sentindo cada vez mais  culpada.

 

Mas não é por causa do outro, é porque eu não me ouvia e ao não me ouvir, gerava um sentimento de culpa.

 

Que coisa louca né? Mas, este é o jogo da vida!

 

Aquilo que veio trabalhar é o que mais sabe fazer, seja qual lado da moeda estiver virada para cima!

 

Outro comportamento é aprender a me retirar de cena, sem medo de ser criticada, abandonada  e rejeitada, porque quando estamos muito disponíveis, as pessoas costumam não valorizar, e quando não somos valorizados tendemos a nos sentir mal, sentir tristes, e cobrar do outro atenção. Mas porque voce se colocou tão disponivel mesmo? 

 

Então tenho aprendido a ser responsavel comigo mesma,  honrando aquilo que quero pra mim,  e isto implica  dar prioridades para ouvir quando quero dizer chega, basta, agora, tem que esperar e tbm alguns fins, aliás este ano foi um ano de finais.

 

Alegria, leveza, liberdade e sim, reconhecimento, e hoje este reconhecimento começa por mim reconhecer e abraçar a parte FAZEDORA em mim....eu digo para você parte fazedora, eu vejo tudo que você faz, eu abraço , acolho e reconheço todo seu esforço, também te libero agora do esforço, porque a vida pode ser leve e quero que você viva na lei do mínino esforço,  e no fluxo.

 

Por vezes esforço demais é teimosia para mudar de padrão, porque menos é mais!

 

Elis

 

Elisangela Corrêa

Especialista em Mulher

 

Fundadora do Instituto Voo das Borboletas

Criadora do Método Voo das Borboleta

Mentora de Negócios com Propósito

Astróloga e  Estudiosa da Ciência da Alma

Sacerdotisa de Cura do Feminino

 

Jornada do Empoderamento Feminino 2019

 

 

 

Tags:

Compartilhe noFacebook
Please reload

Posts Recentes

February 25, 2019

January 15, 2019

December 26, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square

ENTRE EM CONTATO

ATENDIMENTOS

PRESENCIAL EM PORTO ALEGRE e SAPIRANGA
ONLINE NO BRASIL E EXTERIOR

Porto Alegre/RS   |  contato@voodasborboletas.com.br Fone 51 995 397 757    

MANDE SUA MENSAGEM